Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

NovidadesVinhos e etc • 12 de julho de 2021

Vinhos Sustentáveis

Você sabe o que estes vinhos têm em comum? Ambos são do Alentejo e são os primeiros a ganhar o selo de produção sustentável

O Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo, pioneiro em Portugal, foi apresentado durante um webinar que teve a participação dos enólogos Luís Duarte (Herdade dos Grous), Luís Patrão (Herdade de Coelheiros) e Helena Manuel (Herdade dos Lagos), além de João Barroso, idealizador do programa criado em 2015. Do Brasil, participaram Domingos Meirelles, da Exponor, e a assessora de imprensa Alessandra Casolato, além de vários jornalistas.

Entre os cerca de 180 critérios de avaliação que devem ser seguidos nos vinhedos e na adega para a obtenção do selo PSVA estão o controle do consumo de energia e de água, o uso de produtos naturais nos solos, a redução do peso das garrafas e o cuidado com colaboradores e a comunidade, entre outras medidas. 

Até a construção de ninhos para morcegos e aves de rapina está incluída entre essas medidas, já que ambos ajudam no combate das pragas. Um projeto lindo de ver, que busca soluções para a preservação do meio ambiente. O PSVA é voluntário e gratuito e os participantes contam com a ajuda de profissionais para todas as orientações.

Selo de produção sustentável, à direita do contra-rótulo (em verde)

Sobre os vinhos
Herdade dos Grous, cuja produção de videiras, oliveiras e carne é quase toda orgânica, começou a participar do PSVA desde sua criação, em 2015. O enólogo Luís Duarte comentou que até a redução no peso das garrafas em 200 g nas últimas safras foi incluída nesse processo (a garrafa da safra 2018 ainda é pesada). O Herdade dos Grous 2018 (em torno de R$ 200), um corte de Alicante Bouschet, Aragonez, Touriga Nacional e Syrah, é elegante e muito fácil de gostar. Ótimo para ser tomado sozinho ou para acompanhar carnes e itens da charcutaria. Importado pela Épice, traz o selo 001 do PSVA.

A Herdade de Coelheiros adota a produção orgânica e técnicas da biodinâmica. Começou a participar do projeto em 2016 e e recebeu o selo em 2020. O Coelheiros Branco 2018 (R$ 241), disponível no Brasil pela Mistral, ainda não traz o selo, mas foi produzido segundo as regras do PSVA. Um branco com frescor agradável e mineralidade, resultado do corte de Arinto e Antão Vaz, que fica ainda melhor quando a gente sabe como é produzido. Já falei sobre esta vinícola aqui no post Herdade de Coelheiros. Os vinhos são importados pela Mistral.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *