Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

ExperiênciasVinhos e etc • 14 de fevereiro de 2019

Barton & Guestier

Participei de uma “viagem” pela França, com os vinhos da Barton & Guestier, grupo que tem produção em várias regiões do país

Participei de uma masterclass muito interessante, a convite da importadora Interfood para apresentar os vinhos do grupo francês Barton & Guestier. Philippe Marion, que nasceu e vive em Bordeaux e trabalha na empresa há 17 anos, contou um pouco da história da B&G, empresa criada em 1725 e que já passou pelas mãos da Seagram (1954) e da Diageo (2001). Desde 2010, pertence ao grupo francês Castel, um dos maiores do mundo no segmento de bebidas.

Provamos 12 vinhos de diferentes regiões da França: Bordeaux, Chablis, Provence, Córsega (Pinot Noir) e Rhône. São três linhas de vinhos produzidas por eles: Barton & Guestier Appelations, B&G Varietals (que ganham nova identidade visual nos rótulos, na cor vermelha) e os Estate Wines.

Veja os meus vinhos favoritos:

• Thomas Barton Réserve Graves Blanc 2016 – este vinho presta homenagem ao fundador da vinícola, o irlandês Thomas Barton. Adoro Bordeaux branco e este é delicioso. Um corte de Sémillon (55%) e Sauvignon Blanc, é elegante, com boa estrutura. Ideal para acompanhar desde aperitivos até peixes com molhos, como à belle meunière (que leva manteiga, amêndoas e alcaparras).

• Barton & Guestier Chablis – Saint Louis 2017 – para quem não sabe, a região de Chablis é onde a uva Chardonnay tem uma de suas maiores expressões. Este vinho é mineral, com notas cítricas e grande frescor. Ótima companhia para ostras e frutos do mar.

• Barton & Guestier Côtes de Provence Tourmaline 2018 – o consumidor brasileiro ainda tem um pouco de resistência aos rosés, mas tenho visto cada vez mais nos restaurantes. É um vinho versátil, que pode ir bem com várias preparações. Este aqui, tem aquela cor sedutora característica dos vinhos da Provence, além de ser bem saboroso.

• Barton & Guestier Saint-Émilion Roi Chevalier 2016 – este corte de Merlot (75%) e Cabernet Franc foi um dos meus preferidos entre os tintos. Com bom frescor, é elegante e promete ficar ainda melhor com o tempo.

• Barton & Guestier Margaux Terrasses des Dames 2016 – costuma-se dizer que os vinhos da denominação Margaux são os mais “femininos” de Bordeaux, pelo fato de serem macios na boca. Este vinho, que leva Cabernet Sauvignon (75%) e Merlot, é um bom exemplo.

• Château Magnol Cuvée Hubert de  Boüard 2014 – este Cru Bourgeois de Haut-Médoc tem taninos macios, é saboroso e suculento. Um Crus Bourgeois é, em geral, um Bordeaux de preço acessível e de alta qualidade. Para ter esta classificação, é feita uma seleção rigorosa dos vinhos e a lista é renovada de tempos em tempos.

• Château Leoville Barton 2006 – foi o mais antigo que provamos e foi bem didático. Com o tempo, o vinho adquire outros aromas, como notas achocolatadas. De Saint-Julien, este vinho tem predominância de Cabernet Sauvignon, além de Merlot, Cabernet Franc e Petit Verdot. Um vinho especial, que deve ficar muito bom com cordeiro.

No fim da apresentação, o simpático Philippe Marion mostrou outra atração da empresa: o enoturismo no Château Magnol. Convido você a ver o vídeo de apresentação. Vai dar vontade de fazer as malas!

 


0 Comentários

Deixe o seu comentário!