Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

ExperiênciasGastronomia • 13 de agosto de 2021

Padoca Filosófica

O mais natural seria abrir este post com pães e não com uma feijoada, mas este é só um dos diferenciais da Padoca Filosófica

Comer feijoada na padaria pode ser inusitado, mas a Padoca Filosófica serve este prato delicioso às quartas-feiras. Almocei lá na semana passada e adorei a comida e o ambiente. Cada prato do cardápio do almoço traz um nome da literatura e uma sugestão de livro, incluindo opções vegetarianas. A Feijuca da Padoca (R$ 46,00), feita com feijão orgânico, lombo, paio, carne seca, banana crocante envolta na farinha rústica, vinagrete, caldinho na caneca, arroz e couve, presta homenagem a Carlos Heitor Cony, com o livro Quase Memória.

A Padoca Filosófica fica numa antiga vila na rua Ferreira de Araújo, em Pinheiros, cercada por muitos lugares gostosos, como a sorveteria Frida & Mina, colada na padaria, e os restaurantes Nelita e Più, um de cada lado. Em frente, tem um bar de sushis e a poucos metros dali, uma filial do Modern Mamma Osteria, além do Primitivo, que já falei aqui, e a Confeitaria Dama, mais antiga por lá, entre outros.

Fiquei na parte interna da Padoca Filosófica, que tem um bom distanciamento entre as mesas e é bem arejada. Da minha mesa eu via a varanda super simpática, com outras mesas, e uma lojinha de produtos de manutenção e construção do outro lado da rua, que dava a impressão de estar em outra cidade (mas São Paulo não é mesmo assim, onde cada bairro parece uma outra cidade?).

Estava na companhia do meu marido, o que significa que tem sobremesa. Compartilhamos o Bolo Diadorim (personagem de Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa), feito com mandioca, queijo e coco, que chegou quentinho à nossa mesa com o café coado (sempre prefiro) da marca portuguesa Delta. Detalhe, os pães de fermentação natural não são feitos lá e sim pela Jules l’art du Pain, de Moema.

João Guimarães Rosa foi o escritor escolhido para comemorar um ano da abertura da Padoca Filosófica, com várias atividades culturais. A parte gastronômica traz a cesta Os Caminhos do Sertão (R$ 190 + R$ 45, livro opcional), com um pão de fermentação Natural & Grãos, feito com blend de farinhas francesas; um Queijo Minas Frescal da Padoca, acrescido com zathar e azeite português da região do Alentejo; o Miguilim, doce de Leite da Padoca, produzido artesanalmente com leite fresco e receita gentilmente cedida pela mineira Dona Ana, de Cordisburgo, terra de Guimarães Rosa; a cachaça mineira Caminhos de Rosa e o Bolo Diadorim. Tudo é embalado em uma sacola ecológica, feita com fibras naturais. A cesta é acompanhada pelo livro Guimarães e por um dos azulejos comemorativos.

A Padoca Filosófica foi criada por Paulo Abbud e sua esposa Cláudia Belintani Abbud, proprietários do Farabbud, em parceria com o empresário Rodrigo Danezi.

Padoca Filosófica
Rua Ferreira de Araújo, 320
(11) 4305-0320


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *