Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

ExperiênciasGastronomia • 4 de outubro de 2019

Azeite Borriello

O Brasil já produz azeites muito bons e um exemplo é o premiado Borriello, produzido em Andradas, no Sul de Minas Gerais

A primeira vez que provei o azeite Borriello foi durante um jantar no Firin Salonu, com minha amiga Carla Saueressig, sobre o qual falei aqui no post Chá Como Tempero. O que ilustra este post é da safra 2019, produzido com a variedade Arbequina, originária da Espanha. O fato de ser deste ano o torna ainda mais especial (para azeites, quando mais jovem melhor).

Os azeites Borriello são produzidos em Andradas, na região da Serra da Mantiqueira, Sul de Minas, com altitude de 1.450 metros. O projeto teve início em 2007, em parceria com a Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais) Maria da Fé, quando foram plantadas 700 oliveiras.

Hoje, já são quase 10 mil oliveiras das variedades Arbequina (a principal), Picual e Arbosana originárias da Espanha, além da Koroneiki (Grécia) e Grappolo (Itália). Deu vontade de conhecer!

Sobre o Borriello Arbequina 2019, provei com pão, mas deve ficar ótimo em saladas de rúcula com tomate, em bruschetta de tomate e em muitas outras preparações. Falando com Carla Borriello, que me passou as informações acima, ela disse que faz uma versão do espaguete alho e óleo muito especial: enquanto a massa cozinha, ela deixa o alho picado no azeite. Depois, escorre a massa e tempera com esta mistura. Azeite e alho entram crus na preparação, já que a ideia é manter o frescor do azeite. Deve ficar uma delícia.

Além dos varietais (como este Arbequina), eles produzem blends, que mudam conforme a safra. O Borriello Blend 2018 recebeu medalha de prata em um concurso mundial de azeites em Nova York.

Estes azeites podem ser encontrados na Casa Santa Luzia, Quitanda de Pinheiros e St. Marche.


0 Comentários

Deixe o seu comentário!