Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

Viagens • 4 de agosto de 2022

Primavera em Londres

Dias lindos, temperatura agradável e muitas opções gastronômicas e culturais na melhor época para visitar a capital britânica

Passei dez dias deliciosos em Londres, em abril, com minha filha Carol. A capital britânica reserva muita beleza aos visitantes nessa época do ano, em seus parques e jardins. Dividimos nossa estada em duas partes e, depois de cinco dias, fizemos um intervalo para conhecer a Escócia (leia no post 5 Dias na Escócia).

Na primeira parte da viagem ficamos no Sanctuary House Hotel, em Westminster, que foi nosso favorito. Apesar de nosso quarto ser pequeno, o hotel é muito bem localizado e fica perto do metrô e do St. James’s Park.

Café da manhã servido no pub e a garantia de uma boa cerveja na volta dos passeios

O café da manhã do Sanctuary House, bem diferente do que estamos acostumados, é servido no pub, que fica no térreo. Carol e eu compartilhávamos um porridge (um substancioso mingau de aveia quentinho) e ovos benedict com presunto ou salmão escocês defumado, ambos deliciosos. Abastecidas com bastante caloria e usando tênis (o mundo usa tênis), saíamos para nossos passeios, andando sempre mais de 10 km por dia e sempre incluindo alguma parada em algum parque ou jardim.

London Eye: escolher um dia bonito é fundamental

Do nosso hotel dava para ir a pé a algumas das atrações da cidade, como a Abadia de Westminster, o Big Ben e a London Eye. Esta roda-gigante foi o próprio “perrengue chique”, com gente demais, calor fora do comum para a época e bem caro para ver Londres do alto. Se você quiser fazer este passeio, recomendo comprar o ingresso pela internet e ficar de olho na previsão do tempo. 

Pausa para um descanso no parque St. James

Nessa época do ano, passear pelos parques e jardins é o máximo. Um dos nossos parques favoritos foi o St. James, bem perto do nosso hotel e todo coberto de flores. Muita gente sentada na grama para aproveitar os dias lindos, que tivemos a sorte de ter.

A seguir, alguns dos nossos lugares favoritos:

A cozinha deliciosa do chef Ottolenghi combina produtos frescos e muitos sabores

Rovi – restaurante do chef Ottolenghi, com comida deliciosa, além de cair super bem, preparada na grelha, com muitos vegetais, produtos fresquíssimos e vinhos de pequenos produtores.  Adorei o estilo de cozinha.

Tanto nas mesinhas externas quanto na cave, este programa é uma delícia

Gordon’s Wine Bar – no bar de vinhos mais antigo de Londres estivemos duas vezes. Na primeira, ficamos na parte externa, nas agradáveis mesinhas. Na segunda, escolhemos uma mesa na cave, com luz de velas mesmo na hora do almoço. No cardápio, muitas opções de queijos e charcutaria, além de ótimos vinhos em taça. 

Covent Garden Market – um passeio bem legal, com vários espaços para comer e onde você pode comprar chás, entre outras coisas. Almoçamos no Buns & Buns, que foi divertido, mas tem muitos outros restaurantes atraentes por lá. Veja no link Restaurants in Covent Garden

Notting Hill – no sábado tem uma feirinha, onde se pode comer pratos de diferentes cozinhas étnicas. É muito gostoso passear pela parte residencial, meio sem destino. Almoçamos no Gold, um lugar bem agradável, com ótima cozinha. 

Chá das 5 no Connaught – um programa chique a valer servido no hotel de mesmo nome, em Mayfair, com champanhe, comidinhas criadas pelo chef Jean-Georges e uma bela seleção de chás, em um ambiente lindíssimo. Os indefectíveis sanduíches de pepino estavam incluídos, naturalmente. Como fomos na Páscoa, os docinhos eram temáticos.

Este hotel abriga, entre outras coisas, o  Connaught Bar, eleito o melhor do mundo em 2021, e o Red Room, espaço inaugurado recentemente que é dedicado “à fina arte da viticultura”, como eles mesmo descrevem. Vale a pena dar uma olhada nestes links para ver o bom gosto dos espaços (demos uma passada pelos dois lugares, somente para conhecer). O entorno do hotel é o muito legal e descobrimos um jardim lindo. 

Variedade de produtos frescos no Borough Market

Borough Market – lugar perfeito para comprar queijos, conservas e temperos (trouxe dois curries excelentes de  lá), além de produtos frescos (queria estar num apartamento para poder aproveitar). Se você não se importa com a falta de conforto, pode desfrutar das comidas servidas nos quiosques, no estilo comida de rua. Se preferir, há várias opções de restaurantes por perto.

No Hoppers, pratos de sabores intensos, acompanhados de um pão muito gostoso

Hoppers – cozinha do Sri Lanka e do sul da Índia, com pratos bem saborosos e picantes. Fomos à unidade do Soho, que tem um ambiente muito legal, mas eles têm outras duas casas. Vale a experiência!

Um dos mais espetaculares ambientes na Warner Bros, o banco

Warner Bros Studio Tour – programa imperdível para os fãs de Harry Potter, com cenários maravilhosos. Minha filha amou e eu também. Compramos os ingressos com antecedência pela internet.

Os museus em Londres são de graça, mas você precisa reservar. Além dos mais conhecidos British Museum e National Gallery, recomendo o Victoria and Albert Museum, de artes e design, que nós adoramos.

Depois da pandemia quase nenhum lugar aceita dinheiro, apenas cartão. Até um sorvete no parque é vendido no cartão. Os únicos que preferem dinheiro são os motoristas de táxi (caríssimos, aliás).

Para jantar, fique de olho no relógio. Os ingleses jantam muito cedo e as cozinhas não funcionam depois de 21h30 (pelo menos nos lugares onde fomos). As reservas são extremamente necessárias.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *