Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

ExperiênciasGastronomia • 2 de junho de 2020

Volta da feira

No último sábado fui à feira pela primeira vez, depois de quase três meses. Conto aqui minha experiência e dou algumas dicas

Quando tomei consciência de que a quarentena se estenderia por mais de um mês fiquei pensando em todos os meus amigos da feira da Vila Madalena (entre outras pessoas, claro). Frequento esta feira há quase 20 anos e tenho minhas bancas preferidas. Para mim, não tem comparação a qualidade das verduras, dos legumes e das frutas, além dos peixes e frutos do mar. Fique tão feliz em ter ido, que parecia criança. Voltei para casa com o carrinho abarrotado e tive o maior trabalho para lavar tudo antes de guardar, mas valeu a pena.

Cheguei à feira às 8 horas da manhã, munida de máscara e álcool gel. Separei o dinheiro em um saquinho plástico, para as compras menores, como banana (R$ 3,00) e ervas frescas. O restante, paguei com cartão. Uma dica é baixar o aplicativo no celular para evitar que as pessoas peguem no seu cartão. Tomando todos os cuidados, é possível fazer a feira sem problemas.

A maioria dos trabalhadores estava de máscara e tinha álcool gel nas bancas. Compartilho aqui algumas fotos das minhas bancas favoritas da feira da Vila Madalena de um post que fiz em março de 2016. No sábado, estava tão eufórica com minhas compras, que nem me lembrei de fotografar.

Helena em sua banca com um de seus funcionários em foto de 2016. No momento, ela coordena as entregas de casa

Peixes e frutos do mar: Jaime Pescados, a banca da Helena e de seu marido, é onde costumo comprar. Eles têm feito entregas em São Paulo e pedi várias vezes antes de ir pessoalmente no último sábado. Boa parte da equipe está por lá.

Verduras e legumes: não sei o nome deles, mas ficam logo na entrada da feira (pela Mourato Coelho), do lado direito, ao lado de uma banca que tem muitos tomates. Com verduras e legumes fresquíssimos e um atendimento de primeira, é uma das bancas mais bonitas da feira, especialmente se você chegar cedinho. E sempre tem um brinde para os fregueses fiéis: um maço de cheiro verde ou de hortelã.

Na banca de frutas do Boy tem sempre uma novidade

Frutas: esta é a parte mais difícil, já que todos querem que você prove as frutas. Acho melhor evitar, pelo menos por enquanto. Prefiro mil vezes as frutas da feira, porque nos supermercados elas costumam ser guardadas na geladeira para evitar as perdas e nem sempre conseguem chegar no ponto ideal de maturação.

Na rua Aspicuelta ficam as bancas de bananas, onde você encontra também cebola, alho e grãos

Em frente à banca de frutas, tem a barraca do Edson e da Cristina, com muitas opções de legumes, cogumelos e alguns itens da cozinha japonesa. O legal é que ele sempre dá uma dica de preparo ou de compra. Além dos itens mencionados na foto acima, tem uma banca muito legal na Aspicuelta onde costumo comprar castanhas. A qualidade dos produtos é excelente.

Caso você queira ler meu post anterior de 2016, veja no link: Feira Livre da Vila.


0 Comentários

Deixe o seu comentário!