Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

Viagens • 18 de outubro de 2018

Encantos da Toscana

Para curtir a Toscana ao máximo, escolha pequenos vilarejos e, se possível, hospede-se em vinícolas como o Castello di Vopaia

Se Siena e San Gimignano estão lotadas de turistas, há lugares na Toscana onde reina a mais absoluta calma. E como tudo é muito perto, dá para explorar os vilarejos, com sua gente amável, comidas maravilhosas e vinhos excelentes. E se der vontade, dá para incluir uma visita turística.

Foi o que fizemos, meu marido e eu, na semana que passamos na Toscana, em setembro. Ficamos dois dias em Montepulciano (assunto do próximo post) e seguimos de carro para a região do Chianti Classico. Lá, ficamos hospedados no Castello di Volpaia, uma impressionante construção em estilo medieval muito bem preservada, onde funcionam a vinícola (igrejas e casas antigas abrigam hoje a estrutura de produção), a Osteria Volpaia, a loja e o Forno Volpaia, além de um café e um restaurante que não são comandados pela família Stianti Mascheroni, proprietária do Castello di Volpaia.

Federica Stianti Mascheroni nos recebeu com um almoço divino na osteria, acompanhado com alguns de seus elegantes vinhos. Além do Chianti Classico, ela produz vinhos também em Maremma e provamos de lá o Prelius Vermentino, um branco suculento e fresco, que acompanhou muito bem a burrata com tomates (ah! os tomates italianos…). Depois, fizemos um passeio pelas instalações e pelos vinhedos (veja na sequência de fotos, da primeira até a quarta). Mesmo que você não se hospede no Castello di Volpaia, passar um dia ou alguns horas nesse lugar mágico vale muito a pena. Almoçar na osteria ou comer uma foccaccia com uma taça de vinho no Forno Volpaia são dois programas ótimos.

Do Chianti Classico, seguimos para Montescudaio, ao norte de Bolgheri, e ficamos na Fontemorsi. Deste lugarejo trouxe a receita de Tonno di Montescudaio, que abriu a sequência de posts desta viagem. A Fontemorsi tem uma casa super charmosa para agriturismo, onde eu poderia passar vários dias! A paz é indescritível e muitas vezes eu tento me transportar para aquele clima de tranquilidade. Aproveitamos a estrutura da casa para fazer uma noite de piquenique, com os presuntos, salames e outras maravilhas da salumeria local, com lua cheia e as luzes de Volterra ao fundo. Mágico!

No dia seguinte, fomos ver Volterra de perto, cidade de origem etrusca e arquitetura impressionante. A vista de lá é espetacular! Dias lindos, de céu azul e temperatura agradável ajudaram a deixar nossa temporada ainda melhor.

Para comer:

• os tomates – são muito bons! Com burrata e manjericão, então, ficam perfeitos.

• de um modo geral, o pão da Toscana não tem sal nenhum, o que é ótimo para acompanhar os itens da salumeria (imperdíveis!). É um pouco estranho para nós… Gostamos mais do pão de Montescudaio, mais escuro e saboroso.

• bistecca alla fiorentina – um corte suculento da raça Chianina, vendida por peso.

• panforte – um bolo fininho feito com amêndoas, mel e especiarias.

Para beber:

– Chianti Classico – da região de mesmo nome, elaborado com a Sangiovese (são permitidas pequenas porcentagens de outras uvas, como Cabernet Sauvignon e Merlot).

– Rosso di Montepulciano e Vino Nobile di Montepulciano (menos conhecidos do que os Chianti e de preços melhores).

– Rosso di Montalcino e Brunello di Montalcino (o segundo é a grande estrela da região).

– vinhos de uvas internacionais de Montescudaio e Bolgheri (os mais famosos são os supertoscanos)

– Vin Santo – vinho de sobremesa típico da região, feito com uvas passificadas. Bom para acompanhar o panforte.

Fotos: Castello di Volpaia (quatro primeiras fotos, além da Burrata com tomates), Fontemorsi, Volterra, Bruschetta com queijo grelhado, rúcula e presunto cru. Foto área da Volpaia, que abre o post (acervo da vinícola). Demais fotos: Solange Souza. 

 

 

 

 


0 Comentários

Deixe o seu comentário!