Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

Colunistas • 2 de março de 2016

Moqueca baiana

Preparar este prato é uma empolgação quase espiritual, pois seu ritual é paciente, colorido e perfumado – Carlos Ribeiro

moquecanacozinha

Cada dia a cozinha lá em minha casa, quando morava com minha mãe Dona Walkyria, tinha um cheiro diferente: sexta-feira era dia de moqueca (na Paraíba chamada de peixada) de peixe fresco vindo da feira, sábado era dia de porco com feijão verde, e domingo era o cozido dela, que em breve vou contar aqui. Nessa época, não existia micro-ondas, nem exaustores na cozinha, ainda bem, e esse perfume ficava pela casa toda marcando em nossas vidas o que seria comido tradicionalmente todo final de semana. Na quaresma, o peixe era reforçado às sextas-feiras até chegar a Sexta-feira Santa. Na verdade, lá em casa sempre fomos “bons de garfos” e também fomos instruídos a nunca dizer que não gostamos disso ou daquilo; se comia de tudo o que era colocado na mesa. Moqueca era guerra certa e sono na rede garantido.

O que mais me encanta nesse prato são as cores vivas das verduras, o branco do leite de coco e o dourado do dendê, que sempre digo, é o ouro de Oxum

Em nosso país, temos variedades de moquecas e como sou guloso gosto de todas! Moquecas de peixe, de camarão fresco, de marisco, de banana, de caju e de ovo, que eu adoro com camarão seco. Para alguns estudiosos da gastronomia brasileira, a origem da moqueca remeteria à peixada trazida pelos portugueses, na qual os negros acrescentaram os ingredientes habituais da culinária africana, quando aqui chegaram na condição de escravos. Contudo, é importante lembrar que os indígenas tinham, no peixe, um alimento de extrema importância, assim como na farinha de mandioca (Câmara Cascudo, 1983). Tal associação – peixe-farinha – conservou-se, aliás, na combinação perfeita da moqueca com o pirão, até os dias de hoje. Compartilho aqui a receita que sempre costumo preparar no Na Cozinha e que faz o maior sucesso.

Moqueca Baiana

Rende: 6 porções

Ingredientes

  • 10 colheres (sopa) de azeite de oliva extra virgem
  • 4 dentes de alho picados
  • 1 cebola grande cortada em rodelas
  • sal e pimenta-do-reino a gosto
  • 1/2 pimentão vermelho cortado em quadrados
  • 1/2 pimentão amarelo cortado em quadrados
  • 1/2 pimentão verde cortado em quadrados
  • 3 tomates maduros cortado em quadrados
  • 6 postas de peixe (pode ser cação)
  • 300 ml de leite de coco
  • 4 xícaras (chá) de água
  • 8 colheres (sopa) de azeite de dendê
  • 10 camarões (médios, sem casca e sem cabeça)
  • coentro picado a gosto

1. Aqueça uma panela de barro até ficar bem quente. Coloque o azeite de oliva, o alho, a cebola, o sal e a pimenta-do-reino e refogue bem por uns 3 minutos.
2. Junte os pimentões, os tomates e o peixe. Adicione mais um pouco de sal e pimenta-do-reino, junte o leite de coco, a água e o azeite de dendê. Quando levantar fervura, adicione os camarões, o coentro e tampe a panela. Deixe ferver por mais alguns minutos, e está pronta a moqueca. Sirva com arroz branco e pirão.

CarlosRibeiro

Na Cozinha Restaurante e Escola de Culinária
Rua Haddock Lobo, 955 – Jardins
Telefones: (11) 3063-5377 e 3063-5374   


0 Comentários

Deixe o seu comentário!