Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

ExperiênciasVinhos e etc • 5 de outubro de 2016

Loucos por Malbec

Os fãs dessa uva na versão argentina vão se encantar com a história do francês Patrick d’Aulan, um apaixonado por Malbec

AltaVista

Apesar de a Malbec ter origem na região francesa de Cahors, quando se fala nela logo vem à mente a Argentina. Encantado com o desempenho dessa uva no país, o francês Patrick d’Aulan e sua família decidiram comprar vinhedos por lá. O local escolhido foi Las Compuertas, com vinhas de 80 anos de idade. Nascia assim, em 1998, a Alta Vista e o conceito de “Single Vineyard” – quando um vinho é produzido com uvas de um único vinhedo. Hoje são 205 ha no Vale do Uco e em Luján de Cuyo, com vinhedos em altitudes acima de 1.000 metros (em geral, vinhedos mais altos geram uvas com maior acidez).

PatrickDAulan

Pela primeira vez no Brasil, Patrick apresentou três safras do Alto (2005, 2006 e 2009), vinho ícone da vinícola, além de mostrar Malbecs de diferentes estilos. Enquanto os vinhos eram provados, ele contava um pouco da sua história. Nascido e criado em Champagne – sua família era proprietária da Piper-Heidsieck, vendida em 1989 para a Rémy-Martin – passou alguns anos em Bordeaux, “porque queria fazer algo diferente”. Foi lá que nasceu a ideia de um projeto fora da França. “Meu pai tinha negócios na Argentina para a produção de espumantes e o caminho para esse país acabou sendo natural, embora eu tenha visitado outras regiões pelo mundo”. A família tem ainda um projeto no Chile, a Altamana.

A seguir, os vinhos degustados:

  • Alta Vista Terroir Selection Malbec 2013 – bem gostoso, combina uvas de cinco diferentes vinhedos – R$ 155
  • Alta Vista Single Vineyard Alizarine 2011 – um dos meus favoritos, fresco e elegante – R$ 320
  • Alta Vista Single Vineyard Serenade 2011 – muito equilibrado, com boa acidez – R$ 320
  • Alta Vista Single Vineyard Temis 2011 – para os que preferem o estilo mais frutado (com fruta madura) – R$ 320
  • Alta Vista Alto 2009 – única safra disponível no Brasil e por sinal a que mais gostei (como já disse, provamos 2005 e 2006). Apesar de ter Malbec como uva predominante, este vinho recebe uma porcentagem de Cabernet Sauvignon, o que aumenta sua complexidade e potencial de guarda – R$ 550

Os vinhos da Alta Vista são importados pela Épice.


0 Comentários

Deixe o seu comentário!