Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

ExperiênciasGastronomia • 7 de fevereiro de 2017

Forage Experience

Participei de um evento em que a missão era coletar ingredientes para um grande jantar, em North Canterbury, Nova Zelândia 

O termo inglês “forage” significa coletar alimentos. E foi a maneira criativa que alguns produtores de North Canterbury encontraram de mostrar a região aos vários jornalistas e sommeliers que estavam no país para o Aromatics Symposium, em Nelson, e o NZ Pinot Noir 2017, em Wellington. Nos reunimos às 7 horas da manhã para receber as instruções dos organizadores. As pessoas foram divididas em quatro grupos encarregados de trazer os ingredientes para o jantar, o que incluía caça, pesca no rio e no mar e coleta de ingredientes no campo. Para meu alívio, fiquei com o grupo do campo e não tive que atirar em nenhum animal… Um dos chefs responsáveis pelo jantar (foram nove chefs no total), Jimmy MacIntyre, do Otahuana Lodge, estava no meu grupo (na foto, colhendo ameixas).

Alguns dos melhores momentos desse Forage foram a caça às trufas, com uma beagle muito fofa chamada Rosie e seu dono, Garreth; colher ameixas selvagens no meio do nada (descemos um ribanceira e lá estavam várias ameixeiras amarelas e vermelhas carregadinhas) e o almoço na casa do nosso guia, Guy Porter (já falei sobre isso no post anterior), da Bellbird Springs, de onde pegamos outros ingredientes, como ovos de codorna, flor de abobrinha e pato (que já estava pronto para o preparo). Guy e sua esposa, Emily, cultivam várias coisas em sua propriedade, criam codornas, galinhas e patos e fazem um ótimo vinho, encontrado em vários restaurantes da Nova Zelândia.

Como numa gincana, tínhamos horário para chegar com tudo. Os ingredientes foram colocados numa grande mesa, nos jardins da vinícola Pegasus Bay, que tem um restaurante super agradável, onde foi servido o jantar para mais ou menos 60 pessoas.

Durante a tarde, enquanto os chefs cozinhavam, tivemos uma degustação com vinhos de diferentes produtores da região. O jantar foi longo, cada chef apresentava um prato, e teve como ponto alto os peixes, servidos com combinações deliciosas, como um ceviche que levava suco de ameixa amarela (que eu ajudei a colher…), que estava levemente ácida e deu ao prato um delicioso sabor. Todos os pratos foram harmonizados com os vinhos deliciosos da região. A palavra mais ouvida o tempo todo foi “amazing”, que significa surpreendente!

 


0 Comentários

Deixe o seu comentário!