Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

NovidadesVinhos e etc • 8 de junho de 2017

Expovinis 2017

Esta feira continua sendo uma importante referência para o setor de vinhos. Confira a lista do Top 10 e outras boas surpresas

Processed with MOLDIV

Em sua 21a. edição, a Expovinis ficou mais enxuta, mas com frequência mais qualificada de pessoas vindas de várias partes do Brasil em busca de novidades. O Top 10, que elege os melhores vinhos em diferentes categorias, é um dos pontos altos da feira. Segundo o crítico de vinhos Jorge Lucki, consultor da Expovinis, foram recebidos mais de 100 rótulos e a disputa em algumas categorias foi bastante acirrada. A degustação é feita às cegas por um júri especializado. Veja os premiados:

Espumante brasileiro: Peterlongo Elegance Nature

Espumante importado: Gramona La Cuvée Reserva Brut 2012 (Casa Flora)

Branco brasileiro: Don Guerino Sinais Sauvignon Blanc 2017

Branco importado: Clearview Chardonnay Reserve 2014 (Premium Wines)

Rosado: Chiaretto 2015

Tinto brasileiro: Casa Verrone Syrah Speciale 2015

Tinto Novo Mundo: Carvalho Vino km 0, Chile

Tinto Velho Mundo/Península Ibérica: Manzwine Pomar Espírito Santo Reserva, Portugal

• Tinto Velho Mundo II/Itália, Franca e outros: Château Fleur Cardinale Grand Cru Classé 2007 (Casa Flora)

• Fortificados e doces: Porto Messias 10 Anos (Casa Flora)

Entre os premiados, duas surpresas do Brasil: Peterlongo e Verrone. A primeira é um nome bastante familiar para muitos e não é para menos. Em 2015, a Peterlongo completou 100 anos e passou por uma reestruturação, contratando o francês Pascal Marty como consultor (responsável, entre outros projetos, pela chilena Almaviva). Provei outros espumantes da marca e gostei muito, até mesmo dos mais simples na faixa de R$ 35.

Os vinhos da Casa Verrone, produzidos em Itobi, interior de São Paulo, fazem parte do projeto criado pelo agrônomo mineiro Murillo de Albuquerque Regina, de transferência da safra para o inverno, quando as condições climáticas favorecem o amadurecimento das uvas (sistema utilizado também pela Guaspari, de Espírito Santo do Pinhal, SP, e por outras vinícolas no Sul de Minas).

Para ficar nos vinhos da América do Sul, ficam aqui duas dicas que devem chegar em breve ao Brasil:

  • Falernia Pinot Noir Reserva 2016: o enólogo italiano Giorgio Flessati trouxe com ele este vinho delicioso. Localizada no Vale do Elqui, a Falernia é famosa pelos Syrahs e tem um branco de Pedro Ximénez muito interessante. (Premium Wines)
  • Quereu Cabernet Sauvignon Limited Edition 2015: produzido no Vale de Colchagua é um vinho muito elegante, que também veio na mala do produtor Sergio Reyes, ainda sem o rótulo definitivo. Os vinhos básicos da Quereu, que custam R$ 48, são ótimos para o dia a dia. (Premium Wines)


0 Comentários

Deixe o seu comentário!