Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

NovidadesVinhos e etc • 23 de junho de 2016

Expovinis 2016

Apesar de essa edição ter sido bem menor que as anteriores, destacar alguns vinhos não é tarefa fácil. Veja o que encontrei!

Processed with MOLDIV

Com ausências importantes, como a da França, esse evento mostrou que alguns importadores e produtores (muitos buscando importador no Brasil) não estão com medo da crise. A Itália estava com espaço grande, assim como Portugal. A Nova Zelândia marcou seu retorno à Expovinis, mostrando alguns vinhos deliciosos e levando ao seu estande a embaixadora do país, Caroline Bilkey, entre outros importantes convidados. Muitas pessoas de fora de São Paulo prestigiaram o evento, o mais importante do setor, que estava completando 20 anos.

Meus melhores momentos na Expovinis:

  • Lidio Carraro – a simpática enóloga Monica Rossetti me mostrou coisas muito interessantes, como os vinhos oficiais das Olimpíadas: Faces Brut Rosé, Faces Chardonnay 2015 e Faces Merlot 2015. Gostei bastante também da linha Agnus, em especial do Merlot 2015. Os vinhos dessa vinícola de Bento Gonçalves são frescos, sem excessos (não passam por madeira) e com boa acidez.
  • Movia – provei brancos deliciosos dessa vinícola orgânica da Eslovênia, novidade da feira. Acho que a distribuição no Brasil não está ainda bem definida, mas se encontrar esses vinhos, não deixe de experimentar!
  • Rippon Wineyard and Winery – um dos pontos altos da feira foi a vertical de Pinot Noir dessa vinícola biodinâmica da Nova Zelândia, famosa pelos vinhos com essa uva. A degustação, conduzida por Rodrigo Fonseca, um dos sócios da importadora Premium, mostrou como esses vinhos podem envelhecer com elegância. Minhas safras favoritas foram 2009, 2005 e 2003.
  • Vidigal Wines – empresa portuguesa que fica na região de Leiria e produz seus próprios vinhos, além de ter parcerias com outras vinícolas em várias regiões, entre as quais Lisboa, Vinho Verde e Dão. Gostei do Vinho Verde 3 Autores e do Porta 6 Branco e Tinto, de rótulos divertidos. O Vidigal Dão 2013, um corte de Touriga Nacional e Jaen, também é muito gostoso.
  • Premium Wines – nesse estande tinha bastante novidade, como os vinhos espanhóis Enguera e os espumantes da Veuve Ambal, Comte de Bailly, da Borgonha, gostosos e de bom preço. Os meus favoritos foram o Enguera Crianza e o Comte de Bailly Grande Réserve Brut Crémant de Bourgogne. Outro vinho surpreendente foi o Petit vin d’Avril, da Clos de Papes, do sul do Rhône. Sem safra, é um corte de várias uvas tintas, entre as quais a Grenache.
  • Vinícola Pizzato – apesar de ser um dos estandes mais concorridos da feira, Jane Pizzato sempre reserva uma boa surpresa para quem vai visitá-la. Gostei muito do Fausto Tannat.
  • Água Platina – já visitei esta fonte em Águas da Prata, minha terra natal, e já falei a respeito aqui no Mesa Completa. A água é deliciosa, tanto a gasosa como a natural, e as embalagens de vidro são um charme! Fez sucesso na Expovinis e em breve já poderá ser encontrada também em empórios na cidade de São Paulo (alguns restaurantes já incluíram na sua carta).

Se você acha bacana receber dicas assim, siga Mesa Completa no blog, no facebook e no instagram!

 


0 Comentários

Deixe o seu comentário!