Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

ExperiênciasGastronomia • 20 de setembro de 2017

Cozinha & arte

A exposição Satoyama, que fica até 12 de novembro na Japan House, reúne o trabalho do fotógrafo brasileiro Sergio Coimbra e do chef japonês Narisawa

A foto que abre este post é de um prato feito pelo chef Yoshihiro Narisawa com berinjela, ingrediente encontrado no Japão apenas no verão, decorado com flores de shiso (manjericão oriental). Esta é uma das cerca de 80 fotos clicadas por Sergio Coimbra (a foto do post foi feita com meu celular…) que estão na exposição Satoyama, nome também do livro que deve ser lançado no ano que vem, mas que já pode ser visto por lá. Os dois se conheceram no Brasil, em um evento da revista Prazeres da Mesa e tiveram a ideia de fazer um projeto juntos. Foram três anos de trabalho e 13 viagens ao Japão!

Participei da prévia da exposição e conversei com Sergio, que disse que a experiência foi tão incrível, que eles não queriam que acabasse. “A ideia era mostrar as diferentes estações do ano, mas a coisa foi se estendendo”, contou ele, que conheceu muitos dos fornecedores do chef e teve acesso a lugares aos quais um turista, ou até mesmo um local, jamais teria.

O chef é proprietário do restaurante Narisawa, em Tóquio (duas estrelas Michelin) e defende a tradição, combinada com ousadias. Uma delas é servir uma sopa de terra com bardana, para provar que quando o lugar é puro, pode-se comer até a terra (!).

cobrasdefumadas

Os dois, acompanhados de Mari Hirata, chef, pesquisadora e professora de cozinha que se divide entre o Brasil e o Japão, percorreram o país para mostrar tradições como a cobra de uma das ilhas de Okinawa, capturadas com as mãos por duas senhoras. Depois de defumadas, são servidas com uma sopa, que também leva esse ingrediente exótico.

“Não pretendo que as pessoas façam os pratos do livro, mas que tenham consciência do que a natureza pode oferecer e de que modo isso deve ser respeitado” – Narisawa

SATOYAMA

Perguntei a Mari Hirata o significado de um Satoyama. Ela disse que de um modo geral as pessoas nascem na zona rural, num “sato”, com a montanha ao fundo e o mar à frente. Satoyama mostra a cultura japonesa em contato com a natureza dos campos, dos mares e das montanhas, em imagens de extrema beleza. Para recriar essa ligação, o chef preparou um prato que traz o clima da floresta. O Satoyama Scenary (foto acima) é feito com soja, ervilhas e bardana.

A mostra tem curadoria de Felipe Ribenboim e o patrocício da Canon do Brasil.

Japan House São Paulo (confira a programação)
Avenida Paulista, 52
Entrada gratuita
Estacionamento ao lado


0 Comentários

Deixe o seu comentário!