Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

NovidadesVinhos e etc • 4 de outubro de 2017

Casa Marín

A chilena Maria Luz Marín, com o filho Felipe na foto, esteve em São Paulo para mostrar alguns de seus vinhos, com destaque para os brancos

A Casa Marín acaba de entrar para o catálogo da importadora Vinci, mas conheço esses vinhos de longa data e gosto bastante. Já participei de algumas degustações com a Marilú (como é mais conhecida) Marín, figura inspiradora por seu trabalho pioneiro, em uma área dominada pelos homens, especialmente no Chile.

Para estabelecer sua vinícola, ela escolheu Lo Abarca, no vale de San António, a 4 km do oceano Pacífico, região de clima frio ideal para uvas brancas e para a tinta Pinot Noir. As primeiras vinhas foram plantadas no ano 2000 e a primeira colheita foi em 2003.

São produzidas três linhas: Lo Abarca, apenas para o Brasil e para a Inglaterra; Cartagena, vinhos de entrada; e a top da vinícola, Casa Marín.

Durante a degustação Marilú contou que no início seus vinhos eram mais potentes, com mais madeira (no caso dos tintos) e mais alcoólicos, para agradar o mercado americano. Em 2008, com a entrada do filho dela, Felipe, na vinícola, passaram a buscar um equilíbrio, com vinhos mais frescos e elegantes.

Apesar de produzir vinhos para atender o mercado, como é o caso do Cabernet Sauvignon e do Carmenère, que são produzidos e engarrafados no vale de Colchagua, Marilú não faz o que não gosta, como é o caso do Chardonnay, como nos contou durante a degustação.

Uma das especialidades da Casa Marín é o Sauvignon Blanc. Provamos dois:

  • Lo Abarca Sauvignon Blanc 2016 – R$ 81 – fresco e bem gostoso, é ideal para aperitivos.
  • Casa Marín Sauvignon Blanc Cipreses 2016 – R$ 196 – se o bolso permitir, é um vinho que vale muito a pena. Elegante, mineral, um dos grandes sucessos da vinícola.

Dois outros brancos interessantes:

  • Casa Marín Sauvignon Gris Estero 2016 – R$ 196 – produzido com esta uva francesa pouco conhecida, é concentrado, fresco e encantador. Pena que é caro…
  • Cartagena Gewürztraminer 2016 – R$ 113 – aromático, seco e bem gostoso, é ótimo para acompanhar pratos da cozinha asiática.

Entre os tintos, dois Pinots e um Syrah:

  • Cartagena Pinot Noir 2015 – R$ 124 – macio e frutado na boca, tem um bom frescor e preço atraente.
  • Casa Marín Pinot Noir Litoral 2013 – R$ 196 – suculento, fresco e longo na boca.
  • Casa Marín Syrah Litoral 2014 – R$ 196 – aromas frutados e florais, com notas de especiarias. Com acidez agradável é um ótimo parceiro da mesa.

Os preços são os do site da importadora em 4/10/2017


0 Comentários

Deixe o seu comentário!