Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

ExperiênciasVinhos e etc • 20 de abril de 2018

Casa da Passarella

Um encontro entre os vinhos excepcionais do enólogo português Paulo Nunes e a cozinha deliciosa do Maiale, em Pirenópolis

O enólogo Paulo Nunes, da Casa da Passarella, vinícola que fica no Dão, em Portugal, passou uma semana no Brasil divulgando seus vinhos e o último evento foi um almoço em Pirenópolis (GO), cidade super charmosa que já foi assunto aqui no Mesa Completa.

Tive o prazer de participar desse evento, em que brilharam tanto os vinhos quanto a cozinha do Maile, além do timing perfeito entre os pratos e os vinhos. O Maiale foi uma descoberta e tanto para mim, quando estive em Pirenópolis um ano atrás. A cozinha caprichada, a adega incrível e a simpatia dos donos faz deste lugar um dos bons motivos para viajar para lá.

Quanto aos vinhos da Casa da Passarella, conheço muito. Paulo Nunes já esteve algumas vezes no Brasil e eu já o visitei no Dão. Na ocasião, provei a primeira edição de um vinho que ele acabara de lançar, o Villa Oliveira 1ª Edição (R$ 758), um branco excepcional que combina cinco safras, de 2010 a 2015, de Villa Oliveira brancos produzidos principalmente com Encruzado, a principal uva branca do Dão. E conheci também o Casa da Passarella O Fugitivo Branco em Curtimenta 2015 (R$ 443), como ele costuma dizer “um branco com alma de tinto”. Estes dois vinhos foram as grandes novidades dessa recente passagem dele pelo Brasil.

Os vinhos produzidos no Dão se destacam pela elegância e pelo frescor, e a Casa da Passarella é uma referência nessa região. Além de ter um dos rótulos eleito o melhor vinho de Portugal em 2017 (veja abaixo), Paulo Nunes foi eleito o enólogo do ano de 2017 pela revista Vinhos Grandes Escolhas de Portugal, editada por Luís Ramos Lopes, jornalista que durante quase 30 anos esteve à frente da Revista de Vinhos.

São produzidas três linhas: Somontes, com vinhos para o dia a dia (preços entre R$ 90 e R$ 147), Casa da Passarella, onde estão os vinhos mais ousados feitos por Paulo Nunes (entre R$ 106 a R$ 443), e Villa Oliveira, a top da vinícola (entre R$ 616 a R$ 758). Os vinhos são importados pela Premium Wines.

No almoço do Maiale foram servidos alguns deles para acompanhar pratos como o tartare de atum com abacate, a vieira grelhada e o carré de cordeiro da Nova Zelândia servido com pappardelle feito na casa, temperado com manteiga e sálvia, um dos pontos altos do almoço.

OSeria muita coisa descrever todos eles, mas gostaria destacar alguns:

  • Somontes Encruzado 2015 (R$ 147) – se você não conhece esta uva, precisa provar. Ao lado da Riesling, é uma das minhas uvas brancas favoritas
  • Somontes Rosé 2016 (R$ 90) – fresco, saboroso, ótimo para aperitivos e frutos do mar
  • Somontes Reserva 2011 (R$ 147) – gastronômico pelos taninos e pela acidez
  • Casa da Passarella A Descobertada Colheita 2016 (R$ 106) – um belo branco de preço atraente pela qualidade
  • Casa da Passarella O Oenólogo Encruzado 2015 (R$ 216) – versão mais complexa com a uva que já mencionei
  • Casa da Passarella Enxertia Jaen 2013 (R$ 216) – a Jaen (Mencía na Espanha) é mais usada em cortes. Aqui gera um vinho agradável e surpreendente
  • Casa da Passarella O Oenólogo Vinhas Velhas 2013 (R$ 298) – este vinho, com boa concentração e elegância, é feito com 24 uvas diferentes
  • Villa Oliveira Touriga Nacional 2011 (R$ 625) – eleito o Melhor Vinho de Portugal de 2017 pela Wines of Portugal, entre mais de 1.300 rótulos degustados por especialistas às cegas. Um belíssimo vinho.

Fotos: Solange Souza


0 Comentários

Deixe o seu comentário!