Mesa Completa - Por Solange Souza

Menu

Colunistas • 7 de dezembro de 2017

A cobiçada canela

Usada como condimento e aromatizante na culinária popular, esta especiaria já viveu seus dias de glória –  Chef Carlos Ribeiro

bolodecanela

Ouvia atentamente as palavras da minha professora de Estudos Sociais. Era assim que se chamava a matéria que tinha um pouco de história, geografia e ciências, que era ministrada por Dona Daura Santiago, uma professora que nasceu para o magistério, dona de um conhecimento inquestionável, quando eu ainda estava fazendo o curso primário. Eu ficava encantado com as histórias contadas por ela sobre “Tomada de Constantinopla, Viagens de Colombo e Caminho Marítimo para as Índias”. Então, começo a descobrir o valor e o uso das especiarias, quando eu tinha uns 7 anos de idade. Será que foi com essas aulas que fui levado e motivado a cozinhar?

Especiaria muito cobiçada no passado, a canela era um dos motivos de inúmeras embarcações seguirem para o Oriente, mais especificamente para o Ceilão, nos séculos XIV e XVI. Juntamente com outras especiarias, como o cravo, a pimenta-do-reino e a noz-moscada, era utilizada como moeda de troca para pagar serviços, impostos, dívidas, acordos, obrigações religiosas e servia até mesmo como dotes, heranças, reservas de capital e divisas de um reino.

“A canela (Cinnamomum zeylanicum) é obtida por meio do tronco da caneleira, uma árvore que tem seus galhos secos separados de suas “cascas” de cor marrom-avermelhadas, muito perfumadas. Essa árvore é nativa de países como o antigo Ceilão, hoje Sri Lanka, que fica bem ao sul da Índia.”

Ainda hoje é usada como condimento e aromatizante na culinária popular. Quem não gosta de um pouco de canela para dar um toque especial no arroz-doce? Chá de canela, rabanada com açúcar e canela, papa de aveia, mingau ou mesmo um bolo de canela sempre são complementos indispensáveis em momentos carinhosos e de afeto.

Hoje vamos homenagear as nossas queridas professoras que são as bases e os alicerces em nossas vidas: Dona Angelita Ferreira, que me ensinou a escrever, Iara Meneses, minha prima que foi minha professora no quarto ano primário, Dona Lourdes Ramalho na Sociologia, Dilma de Melo e Silva, que me ensinou a pensar e juntar tudo que eu sei quando fiz meu mestrado na USP, e Dona Daura Santiago, que me ensinou o caminho marítimo para as Índias e de lá, pelo jeito, nunca mais esqueci.

Vamos à receita de hoje!

Bolo de Canela

Ingredientes

  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 1 xícara (chá) de manteiga
  • 3 ovos
  • 1 xícara (chá) de leite em temperatura ambiente
  • 3 colheres (sopa) de canela
  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó

Preparo
1. Em uma tigela, junte a manteiga e o açúcar até virar uma mistura bem homogênea. Acrescente os ovos e misture.
2. Adicione a a canela e a farinha de trigo, alternando com o leite (cuidado para não estar gelado e empedrar a manteiga). Por último, misture bem o fermento com bastante cuidado e devagar.
3. Coloque a massa em forma média untada com manteiga e um pouco de farinha de trigo. Pré-aqueça o forno em temperatura média pelo menos 15 minutos antes. Asse por aproximadamente 40 minutos ou até dourar. Depois de pronto, deixe esfriar e polvilhe com açúcar e canela, se preferir.

carlosribeiro
Na Cozinha Restaurante e Escola de Culinária
Rua Haddock Lobo, 955 – Jardins
Telefones: (11) 3063-5377 e 3063-5374


0 Comentários

Deixe o seu comentário!